segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O som da vida



Tem uma música que não sai da minha cabeça, a melodia é uma delícia, mas a letra é horrível RS.

A vida é um pouco assim também. Às vezes temos que aceitar coisas que não nos agradam para desfrutar de outras. É como aceitar nossos próprios defeitos para poder tentar superá-los, é como aceitar uma condição para ter base para mudá-la, é como passar por cima de uma mágoa porque o seu sentimento de amor e carinho falam mais alto, é como tentar entender que para ter algumas coisas é preciso abrir mão de outras, afinal, é preciso aceitar que o tempo passa, a vida muda, as necessidades são outras, mas jamais esquecer que a melodia que nos agrada tem que sempre falar mais alto para servir de combustível na nossa caminhada diária.

Não é porque algo deu errado, porque alguém nos magoou, porque não conseguimos o que queríamos quando e da forma que queríamos que tudo está perdido, que a música deixou de ser boa.

É difícil ser humilde, é difícil agradar a todos, é difícil ser egoísta, é difícil deixar de ser egoísta, é difícil desapegar, é difícil deixar de ser orgulhoso, é difícil abrir mão da nossa forma de pensar, é difícil admitir que erramos, é difícil saber se estamos agindo certo conosco e com o próximo. Olhando assim, nada é fácil, tudo é difícil e complicado, por isso é preciso saber como olhar para a vida, é preciso saber escolher com qual tipo de lente você vai olhar a sua vida. Tem dias que olhamos com as lentes mais escuras, aquele dia em que não deveríamos nem ter saído da cama, mas é apenas um dia, vai passar. Os dias que têm que prevalecer são aqueles dias que olhamos nossa vida com o óculos do Chaves, aquele vermelho sem lentes e que ainda tem uma armação que serve de canudinho para tomar um refresco de Tamarindo RS.

Segundo Dalai Lama, devemos julgar nosso sucesso pelas coisas que tivemos que renunciar para conseguir. Será muito bom lá na frente poder olhar para trás e ver que só renunciamos a coisas ruins para chegar aonde chegamos. Significa que deixamos uma grande carga de coisas inúteis para trás.

Acho que uma boa forma de julgar nossa vida é medindo o quanto de tempo passamos sorrindo ou chorando. Posso dizer que ultimamente eu passei muito mais tempo sorrindo, e as lágrimas... bom... das poucas que derramei, a maioria foi de felicidade.

Creio que uma das grandes lições da vida seja ouvir uma música e saber tirar dela apenas o que nos agrada: deixar a letra e ficar com a melodia, ou ficar com a letra e esquecer a melodia, ou abandonar os dois e não ouvir a música nunca mais, ou simplesmente cantar a letra no último volume dançando como se a melodia tivesse tomado conta da nossa alma.

E assim vai se formando a grande trilha sonora da nossa vida...

A música que citei no primeiro parágrafo é: Foster The People - Pumped Up Kicks: https://www.youtube.com/watch?v=SDTZ7iX4vTQ


Nenhum comentário:

Postar um comentário