quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

DESSA VEZ


O que dá nome ao título deste post é uma música do Nando Reis que diz assim:

É bom olhar pra trás e admirar a vida que soubemos fazer
É bom olhar pra frente, é bom nunca é igual
Olhar, beijar e ouvir, cantar um novo dia nascendo

É bom e é tão diferente

Eu não vou chorar, você não vai chorar
Você pode entender que eu não vou mais te ver
Por enquanto, sorria e saiba o que eu sei eu te amo


É bem propícia para o começo de um fim de ano. Para podermos olhar pra trás, não no intuito de se prender ao que já passou, afinal quem vive do passado é museu e o Vale a Pena Ver de Novo, mas com o objetivo de saber se estamos fazendo valer a pena cada dia de nossa existência.

Analisar o que fizemos e o que deixamos de fazer em mais um ano, pensar nas coisas que vamos deixar pra trás, nas pessoas que não farão mais parte de nossa vida seja por conta do destino ou por escolhas nossas, analisar as nossas escolhas, as certas e as erradas, pensar no que devemos melhorar, o que devemos mudar, se fizemos tudo que gostaríamos de ter feito, se deixamos a desejar para nós ou para os que amamos, enfim, fazer aquele famoso balanço de fim de ano. Porém, sem culpas ou cobranças, apenas de forma madura e sensata para fazer do próximo ano melhor ainda.

Olhar pra frente é muito bom também, mas sem tentar adivinhar o que vai acontecer, apenas acreditar que muitas coisas boas virão e que saberemos vivê-las da melhor maneira possível.

Imaginar todas as conquistas que alcançaremos, todas as viagens que faremos, todas as pessoas maravilhosas que conheceremos, todos os desafios que enfrentaremos, todas as noites frias com o cobertor de orelha que já temos ou que ainda teremos, todas as deliciosas tardes de verão na companhia dos amigos que poderemos curtir, toda a vida que ainda tem pela frente. Uma vida cheinha de surpresas, de sorrisos, de lágrimas, de aprendizado, de amor, de fé, de coisas novas que virão até nós a cada dia.

A gente precisa de tudo isso pra viver, pra evoluir, pra crescer, mas melhor do que olhar pra trás para fazer análises e olhar pra frente para esperar o que virá, é viver o HOJE, o AGORA, a dádiva divina que vem até nós em cada amanhecer. Viver intensamente, sem medo, mudando o que não nos agrada, sentindo o que nos faz bem, aproveitando cada segundo, afinal, nenhum dia é igual ao outro e cada um deles é especial e único, por isso chama-se PRESENTE.

Pra fechar esse post eu quero colocar aqui uma frase célebre do nosso querido Fernando Pessoa. Frase essa que vai para as pessoas que se arrependem de qualquer coisa. Eu sou do tipo que não me arrependo de nada, pois na maioria das vezes sei exatamente o que estou fazendo e me deixo guiar pelos sentimentos, afinal, eles são a forma que Deus tem de conversar conosco:

"Tudo vale a pena se a alma não é pequena"

Claro que a trilha tem que ser "Dessa Vez", de Nando Reis.

Não sei se ainda colocarei algum post este ano, mas caso não coloque, obrigada a todos que passaram por aqui! Espero ter contribuído de alguma forma na vida de vocês. Ahhh, mas ano que vem tem mais, muuuuito mais! ;-) Bjs.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

MUITA CALMA NESSA HORA


Hoje eu tive um daqueles dias bem típicos de escorpiana. Acordei surtada, revoltada, virada no Jiraya, puta da vida e querendo matar alguém! Sim, às vezes nós temos esses dias de fúria! Eu já tinha chorado horrores ontem num misto de mágoa, raiva, revolta, incompreensão, enfim, milhões de sentimentos ruins e que não ajudam em nada. Levantei com os olhos inchados, com a cara horrível e com uma bomba relógio dentro de mim, prestes a explodir a qualquer momento, e antes que isso acontecesse, resolvi sair logo de casa. Afinal, quando estamos num dia desses, as chances de magoar quem mais amamos crescem assustadoramente.

Quando estou num dia assim procuro sair, espairecer, relaxar, ficar sozinha, caminhar, olhar vitrine, assistir um filme, ou seja, esquecer do mundo. Foi o que fiz! Me mandei pro shopping e fui assistir “Muita Calma Nessa Hora”. Fala aí se não é um ótimo título para quem está prestes a colocar fogo no mundo com os bombeiros de greve, hein?

Gente, o que posso dizer pra vocês é que um filme pode mudar o dia da gente, viu! Saí do cinema leve, em paz, tranquila, suave e doidinha pra ir pra Búzios aprontar tooooooooooodas e mais um pouquinho...rs.

Eu não vou ficar aqui contando a história dessa comédia nacional maravilhosa, acho que vocês têm a obrigação de assistir!

A única coisa que posso dizer é que nos momentos de desespero não adianta só sentar e dizer “fudeu”, é preciso também ter muita calma nessa hora! Afinal, um dia a gente vai mesmo rir de tudo que nos aconteceu. Rir de ter se revoltado, rir de ter xingado, rir de ter brigado, rir de ter falado, rir de ter chorado!

O que me deixa mais feliz de tudo isso é ver que momentos como esses, revolts, são cada vez mais raros na minha vida e ocupam cada vez menos espaço também. Eu estou mesmo conseguindo cumprir a promessa de não deixar nenhum sentimento ruim ficar por muito tempo dentro de mim!

Filme mais que indicado, assim como a trilha sonora que é maravilhosa também! Tem Leoni, Jota Quest, bem bacana mesmo!

Ah, mas o Ministério da Simone adverte: assistir “Muita Calma Nessa Hora” pode fazer você ficar com uma vontade absurda e incontrolável de cometer todas as loucuras que sempre sonhou! Bom, eu não tenho nada que me impeça de cometê-las...rs...então, Búzios, me aguarde!

Trilha de hoje (óbvia): “Muita Calma Nessa Hora” – Leoni.


terça-feira, 9 de novembro de 2010

MALDITO KARMA


Este é o título do livro que terminei de ler hoje. Aliás, levei apenas dois dias nele.

Aqui vai a sinopse exatamente como está no verso do livro:

Maldito Karma é um romance envolvente que narra as agruras de uma apresentadora de TV que, por ter acumulado mau karma em vida, um belo dia reencarna como uma formiga! Em meio a muitas gargalhadas, esta deliciosa narrativa nos leva a refletir sobre as escolhas que fazemos e o que realmente vale a pena na vida.

Pois bem, os elogios tecidos acima são verdadeiros, mas eu diria que não é apenas um romance, mas uma bela comédia romântica. Leve, tranquila, gostosa de ler e acima de tudo uma verdadeira lição de vida!

As coisas mudaram muito para mim nessas últimas semanas ou eu diria até nesses últimos meses. Foram mudanças boas e necessárias. Maldito Karma foi a gota d’água que faltava para eu admitir de uma vez por todas que eu realmente estava acumulando mau karma. Não é fácil dar o braço a torcer, passar por cima do orgulho (que no meu caso é gigantesco) e admitir que ainda tinha algo errado. Mas foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido!

Às vezes a gente sabe que tem algo fora do lugar, mas é difícil conseguir decifrar o quê exatamente. É necessário olhar pra dentro com toda a sinceridade e coragem do mundo, sem óculos escuros, aliás, com uma lupa pra vasculhar cada cantinho. Não é um exercício fácil, é doloroso, é triste, é revoltante. Afinal, podemos perceber que perdemos tempo demais alimentando coisas que jamais nos fariam bem.

Mas nenhum tempo é perdido quando nos damos conta dos aprendizados que tiramos daquela situação. Coisas para não se repetir nunca mais e, consequentemente, o despertar de uma vontade absurda de viver novas experiências, respirar novos ares, viver novos amores, arriscar no novo.

Bom, eu recomendo o livro a todos! Leiam, desfrutem, reflitam, pensem nas coisas que estão fazendo, como estão fazendo e, o mais importante, como estão vivendo, como estão desfrutando essa estadia maravilhosa aqui. Tenho certeza que depois dessa leitura, vocês pensarão mil vezes antes de ter uma atitude que possa acumular mau karma, afinal, não deve ser nada interessante reencarnar como uma formiga ou uma minhoca, né. Quem aí gostaria de morrer com um dilúvio provocado por um esguicho de água ou partido ao meio por um cortador de grama? Eu que não quero!


Trilha de hoje: Jorge e Mateus – CD “Ao Vivo Sem Cortes”.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A caixinha de cada um!


Tem uma frase que diz assim: "A vida é uma caixinha de surpresas". Eu nunca concordei tanto com essa afirmação quanto agora.

Sempre amei ser surpreendida, detesto rotina e coisas previsíveis. Tenho sido constantemente pega de surpresa de uns tempos pra cá. Confesso que nem todas as surpresas foram boas, afinal ninguém quer ficar desempregado, né...rs. Mas isso é sinônimo de algo novo, de portas que serão abertas e oportunidades melhores que virão, ou seja, mais surpresas pela frente.

Há um outra frase que diz assim: "Nada do que é humano me surpreende". Também gosto muito desse pensamento e acho que ele deveria ser colocado em prática por todos nós, assim evitaríamos nos decepcionar com as pessoas, já que podemos esperar tudo delas. Porém, o ser humano, em sua imensa complexidade, tem o dom de surpreender sempre. Às vezes sem querer, às vezes sem pensar e às vezes de propósito mesmo.


A verdade é que devemos nos deixar surpreender pela vida e não pelas pessoas. Afinal, cada pessoa presente em nossa vida faz parte das surpresas que ela guarda para nós.

A caixinha de surpresas da vida nos reserva coisas diferentes todos os dias. Se serão surpresas boas ou ruins só depende de nós e da forma que encaramos tudo isso.

Eu amo acordar todos os dias e imaginar qual é a surpresa que a vida preparou para mim. Isso é o que faz valer a pena estar aqui para enfrentar tudo que vier.

Hoje não tem trilha sonora, gente. Estou aqui no silêncio gostoso do meu quarto, jogadinha numa "caixa" de chocolates surpresa, afinal, não sei o sabor dos recheios, só estou provando e gostando!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

PEACE AND LOVE

“Paz e Amor”. Elementos essenciais para uma vida perfeita!

De repente me deu uma vontade absurda de escrever sobre “estar bem, sentir-se bem, envolver-se pela vibe da paz e do amor”. Ah, se soubéssemos valorizar mais esses sentimentos tudo seria melhor, menos complicado, menos doloroso, mais intenso, melhor!

Paz é algo que só encontramos dentro de nós e podemos espalhá-la para todo mundo. Amor é algo que floresce de um sorriso, de um olhar, de um carinho, de uma atitude, de uma palavra de conforto ou de ânimo. Os dois caminham juntos: a paz e o amor. Podemos viver com um ou com outro, mas é a junção dos dois que nos torna seres completos e felizes.

Ter paz no coração significa olhar a vida com lentes coloridas, com olhos de alegria, com leveza na alma. Sentir amor é viver intensamente cada segundo dessa vida e aproveitar o máximo das pessoas que amamos!

Viver é o melhor presente que Deus poderia ter dado para nós! Não poderia existir no mundo dádiva mais rica, mais pura, mais abençoada do que a vida!

Obstáculos? Problemas? Dificuldades? Essas coisas existem na vida de todos nós e sempre existirão. Senão, como iríamos aprender a dar valor às coisas boas se tudo viesse de bandeja?

A vida não é o que é! A vida é o que você faz dela! Se quiser, poderá fazer dela um drama e passar todo o tempo se lamentando. Se preferir, poderá fazer dela um terror e mergulhar numa atmosfera de medo, sem arriscar em nada. Você também pode fazer dela um romance e viver num mundo cor-de-rosa, mas vai perder as coisas boas que só a realidade nos tráz. Eu te aconselho a fazer dela uma comédia porque, além de viver todos esses outros gêneros, você poderá rir de tudo, aprender com as lições e ainda aproveitar a alegria de viver!

Deixe-se envolver pelos sentimentos de paz e de amor e você perceberá o quão importante é cada segundo que passamos aqui!

PEACE AND LOVE FOREVER!

Trilha: “Vamos Fugir” – Planta e Raiz.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Novos Horizontes


Pela milésima vez fez-se um “plim” na minha mente! Não sei se será um “plim” permanente ou apenas mais um passageiro, que ao menor sinal de vida do destino traçado vai voltar atrás e mudar de ideia.

Mas eu vou me esforçar pra fazer desse “plim” constante. Eterno não porque nada, absolutamente nada nessa vida é pra sempre!

Esse “plim” aconteceu por muitas razões fortes e importantes, mas o ápice dele se deu de algo simples, de apenas parar e pensar: “Eu mereço mais”.

Podem me chamar de egoísta, orgulhosa, enfim, podem dizer que estou sendo mal-agradecida, nem ligo, nunca liguei para o que pensam de mim. Apenas vivo e sigo meu coração. Às vezes as coisas estão no nosso nariz e não conseguimos enxergar. Em algumas pessoas, as coisas estão na cabeça delas e ainda assim não conseguem enxergar ou sentir o peso, né!

Eu vivo o momento, nunca parei no tempo! E a quem possa interessar, “as coisas sempre vieram até mim, nunca fui eu que sai do meu lugar para ir atrás delas!”

Hoje eu estou escrevendo tudo isso, sem freio mesmo, e sem medo de que possam entender bem o recado! Amanhã eu posso mudar de ideia, me arrepender (difícil, viu), achar que peguei pesado, pedir perdão, enfim, eu sou assim, inconstante, imprevisível e única! Porque igual a mim, sinto muito, mas nem tentando!

Eu sou intensa e tudo que desejo tem que vir com intensidade também. Se não for assim, não quero! Não me contento com pouco mesmo, com caridade, com obrigação, com carinho apenas, eu quero mais, eu desejo mais, eu mereço mais!

Dizem que a vida é feita de momentos, né. Pois eu posso garantir que mais vale uma vida feita de momentos intensos do que uma feita de “segurança superficial mentirosa”!

Se estou julgando? Não, só expressando o que meus olhos vêm. Me desculpe por não ser igual, carrego a verdade aqui no olhar!

A única certeza que tenho é que coisas maravilhosas virão! Afinal, eu vivo, não deixo a vida passar em vão! E vivo a minha vida e não a vida de outras pessoas!

“Você pode até me jogar de um penhasco... eu vou dizer: eu adoro voar”

Trilha: Teus Olhos – Ivete Sangalo e Marcelo Camelo.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Color inside of my world


Cinco segundos? Acho que nem isso, menos! E uma pergunta que não quer calar: Por que? É tão difícil assim ficar longe? Parece uma necessidade, uma vontade incontrolável, um medo de perder! Será que você ainda está aí? Será que ainda sente o mesmo? Será que ainda vai me tratar igual? Será que já te perdi? Será que ainda me ama? Essas são as perguntas que parecem ecoar na sua mente!

Estou tomada por uma vontade absurda de chorar! Não é de tristeza, não é de raiva, não é de alegria, não é de felicidade. É de uma emoção única e indescritível que me faz pensar que nada, absolutamente nada mudou pra “ninguém”. Pelo contrário, quanto mais o tempo passa e quanto mais distante as coisas parecem, mas forte ficam!

Sim, existem coisas assim, gente! Coisas inexplicáveis, pessoas incomparáveis e momentos inesquecíveis. Eu não sei se alguém já sentiu isso que está aqui dentro, não sei se tem nome, se tem definição, enfim, a única coisa que eu sei é que é muito bom sentir! Não é algo normal, comum, convencional, pelo contrário, foge a tudo isso! Mas é único, é bom, é divino, é a certeza de que um encontro não é só de corpos, de olhares, de toques, é de alma, de espírito!

Não foi feito para entender, foi feito apenas para sentir. E sentindo é possível amadurecer, aprender, aceitar, sorrir, chorar, confiar, evoluir, viver e, no momento certo, unir!

Porque os seus olhos ainda me dizem a mesma coisa que me disseram na primeira vez que encontraram os meus: É VOCÊ!

Porque quando uma simples presença tira tudo do lugar é sinal de que nada foi em vão e de que tudo valeu e ainda valerá a pena!

Porque não adianta tentar calar o corpo, a mente e nem o espírito quando o coração grita o sentimento com toda sua força!

Ser feliz é seguir em frente na nossa missão com o coração puro, em paz, cheio de amor para distribuir por onde passarmos, mas tendo a plena, absoluta e total certeza de que lá no “fim” Deus guarda pra ti o que Ele já te deu!

Trilha: Daughters – John Mayer. Dispensa comentários.



quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Ela chegou!!!


Ela chegou quietinha, no meio de um dia bem típico de verão, com sol, calor e provável fim de tarde com chuva!

Chegou para colorir ainda mais essa vida maravilhosa que Deus nos deu!

Dêem as boas-vindas à nossa amiga Primavera! Que ela possa encher nossos caminhos com os mais deliciosos aromas e fazer de nossos dias únicos e especiais!!!

Inspiração das flores hoje! Rs.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Qual é o valor de uma viagem?



Hoje em dia é muito fácil viajar, né! São dezenas de agências com milhares de promoções e centenas de destinos. Praias, montanhas, campo, cidades históricas, enfim, tem para todos os gostos e todos os bolsos também. Viagens caríssimas como as feitas pelos Emirados Árabes ou viagens mais simples, tipo Paraty! Rs.

A verdade é que não importa o destino, o valor e nem o glamour de uma viagem e sim a sua importância. Uma viagem pode mudar pra sempre a vida da gente, e não é só pelas coisas que acontecem ou pelas pessoas que conhecemos, mas sim pelo simples fato de fazermos dela um divisor de águas em nossa vida.

Por isso, o valor de uma viagem não está no preço pago em dinheiro, mas sim na intensidade das mudanças que ela pode provocar.

Viage sempre, mesmo que seja fechando os olhos e dando asas aos sentimentos e às emoções!

Ah, mas se quiser uma dica, Paraty é o paraíso! Eu recomendo!

Trilha sonora deste pequeno post: “In Between Days” – The Cure.