quinta-feira, 28 de abril de 2011

SABER AMAR...


Hoje, enquanto jantava com a minha mãe e víamos a novela, ela, em cima de uma cena que estava passando, falou exatamente assim: “Outro dia o padre falou que a gente tem que amar o próximo sem esperar nada em troca, sem esperar que a outra pessoa também nos ame... porque as pessoas fazem suas escolhas e não são obrigadas a nos amar só porque nós as amamos”. Eu já queria escrever um post meio parecido com o assunto, mas me faltava um empurrãozinho, aí mamãe ajudou...rs.

Eu também estou com uma música na cabeça há alguns dias, aliás, é ela que dá título a este texto: “Saber Amar – Paralamas do Sucesso”.

O que seria de nossa vida, de nossas lembranças, de nossos pensamentos, de nossas emoções se não fosse o amor, né? Teríamos um vazio absurdo dentro de nós que nada poderia preencher.

É claro que, em nome do famoso “amor”, fazemos muitas loucuras, muitas burradas, muitas merdas, tomamos atitudes insensatas, desnecessárias, descabidas, mas nesses casos o amor é apenas uma desculpa, uma válvula de escape para o verdadeiro sentimento por trás dessas atitudes que é a paixão. Ah, a paixão, é uma delícia quando acerta a gente do jeito certo, né, mas é uma lástima quando o cupido erra o alvo, meu Deus, dá vontade de matar aquele anjinho nu desgraçado com aquela flecha descontrolada!

O amor tem sua pitada de paixão, é claro, isso é necessário, é essencial, todo amor, seja ele de casal, de pais e filhos, de irmãos, de amigos, precisa ter esse toque de paixão para temperar, para equilibrar, para dosar a calma, a tranquilidade, a segurança que o amor proporciona.

Amar é enxergar as pessoas como elas são, com todos os defeitos e qualidades, e continuar gostando delas mesmo assim. Amar é lembrar dos bons momentos e até das horas difíceis divididos com determinada pessoa e se emocionar com essa recordação. Amar é perdoar um deslize, um erro, uma falha e aceitar que não existe perfeição humana. Amar também é respeitar, ter consideração pelos sentimentos alheios, ser sincero nas palavras e nas atitudes para evitar mágoas. Amar é olhar em volta quando se está rodeado das pessoas que gosta e pensar: EU SOU FELIZ!

Saber amar é, lá na frente com seus “enta” e tantos anos, poder olhar para trás e dizer: MINHA VIDA VALEU A PENA!

Bem, meus amigos, acho que é isso. Espero que tenham gostado do texto sobre o amor...rs...Ah, e só para constar, ele não foi escrito apenas porque eu me sinto apaixonada neste momento, afinal, quem me conhece de verdade sabe que eu sou uma pessoa constantemente apaixonada! ;-)

A trilha sonora não poderia ser outra, né: http://www.youtube.com/watch?v=2lC3df5BaA4

segunda-feira, 4 de abril de 2011

VOCÊ TEM MEDO DO QUÊ?


Pensei que já tivesse feito um post sobre MEDO, mas vi que não e achei que esta seria uma hora bem propícia para isso!

Medo de morrer, medo de ser assaltado, medo de sofrer algum tipo de violência, medo de perder alguém que amamos, medo de ficar sozinho, medo de tomar uma decisão, medo das consequências, medo do escuro, medo de altura, medo de algum bicho, medo de palhaço, medo de arriscar, medo de viver! Todo mundo nessa vida já sentiu, sente ou vai sentir medo de alguma coisa!

Eu já disse muitas vezes que não tinha medo de nada, mas claro que não é verdade, eu sou humana, impossível não ter medo de nada. Todos nós temos nossos medos, nossas inseguranças, nossos receios, isso é natural do ser humano.

Não é errado ter medo, errado é se deixar dominar por ele, deixar um medo, seja ele qual for, tomar conta de você, de suas atitudes, de suas escolhas, te impedindo de viver, de arriscar, de dar a cara pra bater, de se jogar de cabeça na vida!

Eu já tive medo de muitas coisas: de ser quem eu realmente sou, de dizer o que sentia, de falar o que pensava, de falar a verdade, mas o tempo fez com que eu me desapegasse de todos esses medos. Hoje eu sou quem eu sou, falo o que penso, o que sinto, não tenho medo de mostrar para as pessoas quais são minhas verdadeiras intenções e sentimentos, afinal, se eu for sincera tenho certeza que, cedo ou tarde, serei compreendida.

Mas confesso que tem um medo que permanece em mim: o medo da falta! A falta de sinceridade, a falta de consideração, a falta de respeito, a falta de caráter, a falta de amor, a falta de humildade, a falta de carinho, enfim, a falta de sentimentos bons, verdadeiros, intensos, bonitos. Esse é um medo que me apavora!

Outro medo que me assusta muito também é o medo de ser verdadeiro, de deixar transparecer o que realmente somos. Ninguém é perfeito, todos nós erramos, nos arrependemos, queremos consertar, afinal, é da nossa natureza, estamos aqui para aprender. Mas triste é ver pessoas que querem sempre ser perfeitas, que querem sempre tentar consertar o mundo da pior maneira possível, com uma mentira, jogando a sujeira pra debaixo do tapete como se ninguém nunca fosse sacudi-lo um dia. É muito fácil se dizer honesto, sincero e santo quando nem todo mundo sabe a verdade que existe por trás dos fatos, difícil é confessar os pecados, dizer que errou, que se arrependeu, que foi fraco, que fez merda!

Para algumas coisas nunca haverá explicação e para alguns medos nunca haverá remédio. Talvez o tempo, que é muito sábio, possa consertar boa parte desses medos, mas somente para aqueles que querem, porque para pessoas que não conseguem enxergar o valor da sinceridade isso nunca fará sentido ou diferença!

Seja o seu medo qual for, jamais deixe que ele te impeça de ser verdadeiro, de ser sincero. Uma mentira pode fazer alguém feliz por um dia, por um mês, por um ano, por uma década, mas uma verdade traz felicidade eterna!

Acho que consegui expressar o que queria e, o mais importante, sem medo de ser julgada!!!

Trilha sonora de hoje: “The Best Thing About Me Is You”, Ricky Martin feat Joss Stone. Linda demais essa música, gente: http://www.youtube.com/watch?v=QsF42nK1-k8