segunda-feira, 16 de maio de 2011

COMO É DIFÍCIL...


Se inventaram alguma coisa mais difícil do que perdoar, graças a Deus, ela ainda não é de nosso conhecimento.

Não sei para vocês, afinal o nível de evolução espiritual de cada ser é diferente, mas para mim o exercício de amadurecimento mais complicado deste mundo é o perdão, e não tenho medo e nem vergonha de admitir isso. É difícil, é complicado, é demorado e é doloroso perdoar.

Vai dizer que é fácil olhar para alguém que deu aquela pisada na bola com você e dizer: "Beleza, acontece com todo mundo, já passou, você 'ferrou' com a minha vida, mas tudo bem, eu te perdoo". Ah vá! Se você consegue fazer isso numa boa, de verdade, eu te dou meus parabéns mais sinceros porque é um feito para poucos.

Mas o que muitos de nós não sabemos é que o exercício do perdão não começa com você perdoando o próximo, mas sim com você perdoando primeiro a si mesmo. Eu demorei muito, mas muito tempo mesmo para entender isso. Quando a gente guarda raiva, mágoa ou rancor de alguém, na grande maioria das vezes todos esses sentimentos foram causados porque nós mesmos deixamos que acontecessem coisas que resultassem nesses sentimentos. Isso chama-se "assumir a responsabilidade pelas coisas que acontecem em nossa vida". Fácil admitir isso? Não mesmo! Mas o fato é que somente nós somos culpados pelas merdas que acontecem em nossa vida, nós fazemos as escolhas, nós decidimos o caminho, nós tomamos as decisões, então nós somos responsáveis pelas consequências.

Às vezes o mundo inteiro está alí nos mostrando que aquele não é o caminho, mas a gente insiste, a teimosia impera e a gente continua batendo naquela tecla, aí é claro que vai terminar mal. O problema é abrir os olhos, acordar pra realidade, cair do 30° andar, perceber que o castelinho de areia desmorou e, pior de tudo isso, admitir que a culpa foi única e exclusivamente nossa e de mais ninguém. Afinal, é muito mais fácil colocar a culpa nos outros, não é mesmo? Assim, além de escapar da responsabilidade, ainda saímos como vítima.

Mas a verdade é que agir assim só atrasa a nossa vida. Muito melhor seria olhar para o espelho, respirar fundo e dizer: "É, você é um burro mesmo, fez merda, agora vai aguentar as consequências, mas, quem nunca errou nesse mundo?". Admitir o erro, enxergar a realidade, perdoar-se, entender que todos nós fazemos escolhas erradas, que todos temos o direito de nos arrepender são os primeiros passos para perdoar o outro, seja lá pelo que a gente ache que ele tenha feito de errado, ou simplesmente perdoar para tirar do coração sentimentos ruins como mágoa, rancor, raiva, sentimentos que só nos fazem andar para trás.

Leve o tempo que for (apesar de que eu aconselho você a não demorar muito, afinal, a vida passa rápido), mas perdoe. Você vai sentir um alívio sem igual, faz bem para a alma e para o coração!

Bom, por hoje é isso, gente. A trilha deste post é o CD "To The Sea", do maravilhoso Jack Johnson. Só para constar, vou no show dele no próximo sábado! ;-)